Deixemo-nos conduzir pelo amor do Senhor!

Mensagem Litúrgica da Quarta-Feira de Cinzas, 14 de fevereiro de 2018, Primeira Leitura, Joel 2:12-18, Responsório, Sal 50,3-4.5-6a.12-13.14.17, Segunda Leitura, II Corintios 5:20–6:2, e Evangelho, Mt 6:1-6, 16-18.

Emiliana Durães e Patrícia Galvão (Pascom)

Clique aqui e assista à homilia no canal do Frei Fabrício no YouTube.

Na mensagem litúrgica da Quarta-Feira de Cinzas, com muita sabedoria, a Igreja nos convida a fazermos uma pausa. É nessa pausa que encontramos o verdadeiro sentido de nossas vidas por meio da Quaresma, nossa origem e também nosso fim, “Viemos ao pó e ao pó retornaremos!”, como nos recorda uma mensagem escrita na porta do Mosteiro de São Bento: “Lembra-te que morrerás!”. Nós, humanidade, temos muita facilidade de nos perdermos, e o Evangelho nos convida a entrar em nossos quartos, ou seja, em nossos corações, e ouvir a voz de Deus! Converter-se significa aprender a voltar para a estrada certa, para o início de tudo: o caminho correto! E vermos que precisamos de Deus! É importante que tenhamos a consciência do pecado. Deus permite os nossos desvios. A raiz da misericórdia, é a consciência de nossa fraqueza.

Quando nos afastamos de Deus, pensamos que somos donos do mundo. Precisamos da Quaresma para olharmos para a essência e com isso façamos o caminho com Deus! Precisamos perder nossa vida para Deus e depositar tudo n’Ele, e ganhar a nova Vida! Às vezes ficamos nos questionando de tudo o que acontece em nossa vida, mas Deus vem nos convidar a nos voltarmos para Ele através das seguintes práticas: esmola, jejum e oração. Esses três elementos são importantes para nossa vida. Jesus nos aponta na Quaresma, um caminho de libertação!

A primeira prática, a da ESMOLA do dia-a-dia, aparece o lado humano: “Que o nosso olho direito não saiba o que nosso olho esquerdo está vendo ou fazendo. Fazendo o bem sem olhar a quem!” Que a lógica da nossa vida, seja a ótica divina! E nosso Pároco, Frei Fabrício Nogueira (OFMConv.), nos contou sobre quando deu uma esmola a um rapaz, e falou para ele, “Deus te abençoe!”. E como é bom ouvir, Deus te abençoe. Têm frases que saem como flechas em nossos corações. Às vezes ficamos presos a coisas pequenas e não conseguimos encontrar a beleza de Deus: “Precisamos mudar o Raio-X de nossas vidas, pois feliz é aquela pessoa que todos os dias faz seu exame de consciência”.

A segunda prática é a da ORAÇÃO, do encontro com o Senhor. Deus quer que entremos em contato com uma Nova Vida, uma vida com o Senhor, em oração. Nossas vidas só acontecem de fato quando estamos com a fonte de todas as coisas, Deus! Ele só fala conosco, quando nos permitimos ouvir, e Ele não responde na hora que queremos, nem do jeito que queremos. Temos que silenciar para ouvir o que Ele tem a falar para nós. O Evangelho nos diz: “Entre para seu quarto, reze e ore!”. Perguntemos a Deus qual é o ponto de nossas fraquezas? Onde podemos melhorar? E só podemos melhorar deixando Deus nos corrigir. O Senhor vem ao nosso encontro e vem trazer a oração, que é fonte de misericórdia.

A terceira, e última prática é o JEJUM! Jejum não é dieta. Jejum é o caminho da elevação espiritual, é um trabalho espiritual através da dinâmica do não ter, é nos esvaziarmos e pedirmos ao Senhor para encher-nos com o Espírito Santo Dele. O jejum não é para nos fazer sofrer, mas sim para nos reeducar espiritualmente. O jejum nos ajuda a vencer o pecado! Lembremos, “quem jejua, ora e dá esmola, não é melhor do que ninguém!”. Com o jejum, nos tornamos obedientes à Palavra de Deus!

Que Deus esteja no centro da vida de cada um de nós nessa Quaresma! Nos aproximemos da proposta de vida que Deus nos fez e que São Francisco de Assis bem entendeu, a de nos permitirmos conduzir pelo amor através da esmola, da oração e do jejum. E sigamos o tema da Campanha da Fraternidade de 2018, “Fraternidade e superação da violência, tendo como lema, em Cristo somos todos irmãos (Mt 23, 8)”.

Comments are closed.