Fique por dentro

Notícias

Mensagem de Natal do Ministro Geral

Queridos irmãos, que o Senhor vos dê paz!Com esta mensagem de Natal, quero estar perto de cada um de vocês, de cada comunidade, de cada província, custódia, delegação, missão, além de me apresentar em cada uma das iniciativas que vocês realizam, nas dificuldades que estão enfrentando, nos projetos que vocês personificam. O Natal é tradicionalmente uma festa de família e nós, franciscanos conventuais, somos uma! Portanto, vamos celebrar a vida do Senhor que vem para tornar todas as coisas novas, e na vida de Deus renovamos nossa vitalidade.Hoje posso dizer que há muitos sinais de vitalidade na Ordem: em alguns lugares a vitalidade numérica é evidente (presenças jovens que crescem); em outros, a vitalidade é representada pela maturidade da vida religiosa, resultado de muitas décadas de formação permanente que é séria e que permite uma experiência serena do carisma. Ainda em outros lugares, a vitalidade assume a forma de criatividade e coragem, especialmente em relação à Nova Evangelização e à maneira como as comunidades tentam dar uma resposta "franciscana" ao turbilhão de mudanças sócio-políticas pelas quais passa o nosso mundo. Ao mesmo tempo, muitas vezes surgem contratempos e limitações em nossa fraternidade. É algo que não nos surpreende, mas que nos leva à ação: a vida é complexa em si mesma,Os tempos litúrgicos do Advento, do Natal e da Epifania celebram o mistério contínuo de Deus que vem continuamente em nossa história concreta, na vida como ela é. Certamente, a vinda de Deus na carne é celebrada, mas em uma tensão escatológica cheia de esperança: uma tensão no dia do retorno do Mestre, em que tudo ficará claro no Senhor. Em um tempo histórico e escatológico, invocamos a ajuda do Alto, para poder viver situações cotidianas com espírito de vigilância e inteligência evangélica, com amor, sem perturbações.No contexto das férias de Natal e da Epifania, desejo, portanto, oferecer algumas reflexões simples para confirmarmos o que acreditamos e professamos.   Coloquem as armas da luzAqueles de nós que já têm várias décadas de vida, entendem que o conflito faz parte da história e que é um dos grandes mistérios do mundo. O mesmo mundo, por exemplo, que foi capaz de superar guerras, extermínios e ditaduras; que declarou os Direitos Humanos e cresceu em consciência democrática e participativa, agora parece voltar ao seu próprio vômito e propor novamente os mesmos dinamismos desumanizadores. Dinamismos que parecem - infelizmente - concebidos e programados por algum centro de poder.A mesma cultura que um dia soube dar as boas-vindas a Cristo agora parece optar por se refazer na negação do sentido transcendente da vida e, mais especificamente, na rejeição sistemática do humanismo cristão. Mas se a análise desses retornos eternos da história e suas causas nos desencoraja, a fé, no entanto, nos ilumina. Sabemos e acreditamos que "o Senhor reúne todos os povos e julgará entre as nações" (cf. Is 2,1-5) e que "o dia está próximo". Nesta certeza, o Senhor nos pede para "vestirmos as armas da luz" (cf. Rm 13, 11-14); despertar para a fé para gerar e testemunhar as obras da Luz.Como crentes, nossa resposta ao mundo não deriva simplesmente do que tiramos da análise da realidade, mas da Luz gerada por Cristo. A nova humanidade é Cristo e Ele nos precede. Acreditamos que Ele ilumina toda a realidade que somos chamados a enfrentar com responsabilidade. O despertar também implica nossa volta ao mundo com um brilho que é ao mesmo tempo crente e evangélico. O desafio é colaborar com humildade, mas também com eficiência, para trazer à tona o "novo" a partir da Justiça do Senhor. Talvez nosso primeiro "trabalho", nosso primeiro compromisso como frades franciscanos, seja afastar-se (o "não acrescentar") aos dinamismos sombrios da virada: pelo contrário, somos chamados a viver a transparência evangélica para testemunhar a Luz que vem do alto.   O mistério da esperançaA transparência do evangelho é um sinal humilde, mas luminoso e é portadora de esperança para o mundo. É sempre profético falar de "esperança". Para os crentes, no entanto, a esperança não vem de uma visão "voluntarista" ou ingênua da realidade, mas é um presente de Deus, um presente teológico. Jesus nos salva e nos chama a perseverar na esperança (cf. Rm 15, 4-9), que é o fruto livre da salvação. É um presente do Espírito.Não tenho certeza de que, como uma Ordem, somos guiados por fortes desejos proféticos. Talvez devêssemos crescer muito mais na profecia da santidade pessoal e comunitária, na profecia da doação do martírio (seguindo o exemplo de nossos irmãos que deram a vida por meio do sangrento martírio); na profecia de "ser evangelicamente alternativo" diante das tentações mundanas; na profecia de rejeitar os sistemas de injustiça que dominam as nações; na profecia de "ser uma contraproposta" antes do impulso de qualquer imposição cultural; na profecia do diálogo e da tolerância diante daqueles que impõem discriminação religiosa ou racial.A invocação do dom de Deus e a perseverança no caminho do Evangelho nos ajudam a permanecer lúcidos na esperança profética. O Senhor, que vem continuamente ao mundo, mantém suas palavras claras: "Regozijem-se o deserto e a terra árida, nosso Deus vem nos salvar" (cf. Is 35: 1-6,8-10); "Converta-te e crê no evangelho" (cf. Mt 3, 12-12).Os espaços de novidade não são primariamente estratégias, mas uma "atitude de crença" e uma humilde aceitação do estilo de Jesus. Meditamos e assimilamos o Evangelho em comunidade, porque esta é uma "possível origem de novidade e esperança" para todos nós.   "Fazendo o nosso caminho": missão e vida como processosDurante todo o ciclo do feriado de Natal, ouvimos insistentemente o chamado para nos fortalecermos na paciência histórica: "Seja paciente, fortaleça seu coração porque a vinda do Senhor está próxima" (cf. Jo 5, 7-10). Vejo com prazer que a Ordem cresce com a consciência de que a missão não se traduz em "eventos", mas em "processos" desenvolvidos em pequenos ou grandes períodos da história. Afinal, a história não é uma simples sequência de eventos, mas um processo contínuo, uma "jornada", um "itinerário": é a vida a caminho.A evangelização não se baseia em uma proposta de "nichos", mas na oferta de "caminhos". O mesmo se aplica a toda a nossa vida religiosa que não é construída como uma sequência de passagens, etapas ou subidas de degraus ascendentes, mas como um caminho disciplinar: desde a formação inicial, estamos sempre no caminho da conversão. O discipulado é acima de tudo isso: um caminho, um itinerário movido pela fé e orientado para o Reino.O Reino só estará cheio no final dos tempos. Enquanto isso, o que fazemos é "caminhar em direção" e nos fazer "andar" em Cristo, como ensina nossa irmã Clara de Assis: Portanto, o apóstolo adverte: Conheça bem sua vocação (cf. 1 Cor. 01:26). O Filho de Deus fez o nosso caminho; e isso com palavras e exemplos nos mostrou e ensinou nosso abençoado Pai Francesco, verdadeiro amante e imitador dele "(SANTA CHIARA D'ASSISI, Testamento).O discipulado é uma jornada de aprendizado e desenvolvimento do "conhecimento do evangelho", em particular o "conhecimento" da humanidade de Cristo. A humanidade de Cristo restaura nossos relacionamentos e renova nossa missão. O tempo nos chama a propor-nos como "caminhos credíveis de humanização na fé": caminhos de encontro com o Jesus do Evangelho feito Igreja.   As implicações da Natividade: celebrar para mudar"Uma virgem conceberá Deus conosco" (Is 7, 10-14). "Ele nasceu de Davi segundo a carne" (Rm 1,1-7). "Jesus nascerá de Maria, da descendência de Davi" ( Mt 1,18-24).A chegada do Filho de Deus na história criou um "antes" e um "depois". Do mesmo modo, a celebração sacramental de um nascimento assim nos leva a mudar, especialmente na vida. Todo sinal e todo tema de Natal se tornam como vida para nós. Proponho aqui alguns "temas" de Natal (extraídos da espiritualidade e dos mestres pastorais) que podem nos ajudar de maneira prática e concreta.Esperar é um desses temas. A Virgem "espera" o Filho. Essa "expectativa" ilumina cada uma das "expectativas" do mundo, do nosso século, daqueles que anseiam por um mundo melhor, da própria Igreja e da nossa Ordem. Vale perguntar: o que estamos esperando? O que nossos jovens estão esperando? O que o mundo espera de nós? Maria oferece o Salvador ao mundo: o que oferecemos hoje à humanidade?A paz é outro tema tipicamente natalício. O problema da paz mundial é o pão diário. Nesse tipo de paz, nosso lugar é certamente o da reconciliação: primeiro, a reconciliação de nossa pessoa e, em segundo lugar, a reconciliação com a comunidade e com a sociedade. A reconciliação inclui questões difíceis e complicadas, como a pacificação de nossa "carne", nossa afetividade, nosso estilo de relacionamento, o "caminho" com o qual nos propomos ao "outro".Maria é o ventre de uma nova humanidade. À imagem de Maria e da Igreja, nossas comunidades são chamadas de "ventre" dessa nova humanidade e, por esse motivo, somos chamadas a humanizar nossos corações.Jesus nasceu de uma virgem. Como Maria, a Igreja é chamada a tornar-se mãe, mantendo sua "virgindade": mas o que significa virgindade viva? Certamente podemos dizer que isso significa não se envolver com poderes das trevas ou com qualquer forma de corrupção; não se misture em situações "conturbadas", ou seja, não assuma a lógica deste mundo.   O modo faz a diferençaJesus não só veio ao mundo: ele veio com humildade. “Olhem, irmãos, para a humildade de Deus, e abra seus corações diante dele (Sl 61,9); humilhem-se também, para que sejam exaltados por ele (cf. 1Pd 5,6; Tg 4:10). Portanto, nada de vocês se retenha, para que quem se oferece totalmente a você possa recebê-lo" (SAINT FRANCIS, Carta a toda a Ordem). A "modalidade" com a qual vivemos seguindo Jesus não é irrelevante, porque dificilmente poderíamos ser a transparência de Cristo se não incorporássemos em nós o estilo que ele próprio assumiu na história. A humildade de Cristo garante "autoridade" a toda a construção de nossa proposta de vida e missão.Com estes sentimentos, amados Irmãos, desejo-lhes um Natal feliz e motivado.   Roma, 23 de dezembro de 2019.Frei Carlos A. TROVARELLIMinistro Geral   fonte: franciscano.org.br/comunicacoes/noticias/

Missa de Natal no Hospital da Criança

O Santuário São Francisco de Assis deu suporte a Dom Marcony na Missa de Natal, no auditório do Hospital da Criança para cerca de 100 pessoas entre elas pacientes, familiares e funcionários. A santa missa ocorreu na última sexta-feira (20) e é programada pela Diocese.

Celebração dos 22 anos de sacerdócio do frei Nasareno

No último sábado (14), durante a santa missa, a comunidade do Santuário São Francisco de Assis comemorou com o frei José Nasareno os seus 22 anos de sacerdócio. A ação de graças foi presidida por frei Nasareno e cocelebrada por frei Wagner e padre Paulo Roberto, chanceler da Arquidiocese Militar do Brasil, Catedral Rainha da Paz.Durante a homilia, frei Wagner parabenizou frei Nasareno por sua vida dedicada à Ordem Franciscana e ao povo de Deus. Padre Paulo também se manifestou dizendo que era uma grande alegria para ele como padre testemunhar um recém ordenado e que quem beija as mãos de um neo-sacerdote durante o mês de sua ordenação, recebe indulgência plenária.Ao final, o casal Iraci e Marcelo presenteou o frei Nasareno com duas camisas clerical a pedido do mesmo que disse a predileção por ser necessário ser identificado como padre, inclusive em um vôo foi reconhecido e salvou uma senhora que pensava em atentar contra a própria vida.Após a celebração todos foram convidados para o salão paroquial onde as pastorais e movimentos celebrariam as bodas do frei. O mesmo saudou a todos, cantou, rezou frente ao presépio estilizado em favela, no qual continha uma imagem da Santa Dulce dos Pobres.Convidou ainda os paroquianos de primeira hora para se posicionarem, relembrando os tempos do primeiro pároco, frei Miecslaw Tlaga, quando usaram da palavra: Darse, Brenno, Edewilton e o frei João Batista que falaram particularidades dos primeiros anos. Frei Nasareno começou a cantar “amigos para sempre” e na sequência o jantar compartilhado e a confraternização em si. Texto: Andrei Mendes- coordenador da Pastoral Familiar

Famílias assistidas pela Conferência de Santa Clara confraternizam

A Conferência Santa Clara promoveu no último sábado (14) um almoço de confraternização na Vila Rabelo, em Sobradinho II, com cerca de 60 pessoas de 18 famílias residentes no local, algumas assistidas pelos vicentinos das conferências Santa Clara e São João (da Paróquia São Mateus- Vila Rabelo) e outras famílias que são atendidas por diversos serviços oferecidos no Centro Comunitário da Sociedade São Vicente de Paulo. O evento contou com a colaboração do “Projeto Voluntário”, composto por membros do Santuário São Francisco de Assis. Jovens da “Perseverança” e do “Segue-me” organizaram momentos de animação e oração, principalmente para as crianças e demonstraram espírito de serviço ajudando na organização do local, servindo o almoço às famílias presentes. Até um Papai Noel apareceu pregando a Boa Nova de Jesus e distribuindo lembrancinhas para as crianças. No próximo sábado (21) as famílias assistidas pela Conferência de Santa Clara receberão uma Cesta de Natal para que possam confraternizar e celebrar, em seus lares, a alegria do nascimento de Jesus.

Frei Wagner visita o Noviciado Interprovincial

Entre os dias 10 e 13 deste mês, o Frei Wagner Faustino (OFMConv.) foi até a cidade de Cascavel, no Paraná, para visitar o Noviciado Interprovincial Santo Antônio de Pádua. O frade foi eleito na 2ª fase do V Capítulo Provincial Ordinário para ocupar o encargo de vice-mestre da Casa de Formação. E, como representante da Província no noviciado, foi ao local conhecer a realidade.Durante os quatro dias, o Frei Wagner fez os escrutínios que tratam-se de uma análise do que foi o último ano no noviciado, bem como a situação de cada noviço. Este exame é feito a partir da escuta minuciosa e da conversa com o mestre do Noviciado. Retornando para Brasília e antes de assumir o desígnio no Noviciado, o frade concelebrou, junto ao Frei José Nasareno (OFMConv.), a sua Missa de despedida do Santuário São Francisco de Assis no último sábado (14).Os noviços celebrarão a sua primeira Profissão Temporária no dia 8 de fevereiro no Convento e Santuário Imaculada Conceição de Maria (Jardim da Imaculada), localizado na Cidade Ocidental (GO). Fonte: franciscano.org.br/comunicacoes/noticias/

Provincial saúda os novos párocos

Por ocasião das posses dos novos párocos das paróquias e santuários da Província São Maximiliano Kolbe, o Ministro Provincial, Frei Gilberto de Jesus (OFMConv.), saúda aos frades pelo novo caminho a ser trilhado neste quadriênio. O provincial, parabenizou aqueles que já foram empossados e felicitou aqueles que ainda tomarão posse. Confira as saudações logo abaixo! SAUDAÇÃO AOS NOVOS PÁROCOS Santuário São José Logo no dia 12, o Frei Herton Alcântara dos Santos (OFMConv.) foi empossado como pároco do Santuário São José, em Niquelândia (GO). Presidindo a Eucaristia estava o Pe. Francisco Agamenilton Damascena, o Administrador Diocesano de Uruaçu (GO). Estiveram presentes ainda o Ministro Provincial, Frei Gilberto de Jesus (OFMConv.), os vigários do Santuário Frei Jailton Docílio (OFMConv.) e Frei José Maria Stankiewicz (OFMConv.), o vigário da Igreja Santa Tereza (Uruaçu), Pe. Gilson, além dos sacerdotes da cidade, como os Padres Wolney e Cléber.   Paróquia Nossa Senhora das Mercês Na última quarta-feira, 17, foi celebrada em Manaus (AM), a Santa Missa de posse do Frei Hoslan Guedes (OFMConv.) como pároco da Paróquia Nossa Senhora das Mercês. Presidindo a Eucaristia estava o arcebispo da arquidiocese da capital amazonense, Dom Sérgio Eduardo Castriani (CSSp). No dia seguinte, 18, ocorreu a posse na área Missionária São Maximiliano Kolbe.Estiveram presentes ainda o Frei Pedro Rodrigues (OFMConv.), que foi o antigo pároco, o Frei Décio Cruz (OFMConv.), vigário paroquial e o Frei Flávio Amorim, ex-missionário da Amazônia. Também participou da Missa o Monsenhor José Carlos Sabino. “Foi uma celebração simples e muito bonita”, disse Frei Hoslan.   Paróquia Nossa Senhora Aparecida No último sábado (14) foi celebrada a Santa Missa de posse do Frei Givaldo Domingos de Oliveira (OFMConv.) na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, em João Pessoa (PB). A celebração foi presidida pelo Pe. Luiz Júnior, Vigário Geral da Arquidiocese da Paraíba.   Paróquia Santo Antônio do Menino Deus Já no dia seguinte (15) foi a vez de ser celebrada a Santa Missa de posse do Frei Evilásio Andrade (OFMConv.) na Paróquia Santo Antônio do Menino Deus, localizada na capital paraibana. Sendo presidida também pelo Pe. Luiz, a celebração foi acompanhada por todos os grupos e pastorais da comunidade.   Colégio São José No dia 17, o Frei Israel Sobrinho (OFMConv.), assumiu a diretoria do Colégio Santo Antônio (CSA), em Cidade Ocidental. Na ocasião, estava sendo celebrada pelo Ministro Provincial, Frei Gilberto de Jesus (OFMConv.), a Santa Missa em ação de graças pela formatura dos alunos do Jardim II, 5º e 9º ano do Ensino Fundamental e ainda do 3º ano do Ensino Médio. Durante a celebração, o Frei Carlos Oliveira (OFMConv.), ex-diretor do CSA, deu as boas-vindas ao provincial e ao Frei Israel, incentivando o trabalho dos colaboradores e agradecendo aos funcionários pelo companheirismo.Na homilia, o Frei Gilberto ressaltou como os pais devem demonstrar colaboração para com os filhos e com o próprio colégio. O novo diretor agradeceu pela confiança recebida para o novo encargo e pediu a todos para que pudessem divulgar o CSA, assumindo-o como missão para o bem das famílias e da sociedade.   Santuário de Nossa Senhora das Candeias Também no dia 17, o Frei Thiago Noronha (OFMConv.), foi empossado como o pároco do Santuário de Nossa Senhora das Candeias, em Candeias (BA). A Santa Missa foi presidida pelo Bispo da Diocese de Camaçari (BA), Dom João Carlos Petrini (SCJ). Estiveram presentes alguns frades da região, como o Frei Evilásio de Andrade (OFMConv.), pároco da Paróquia Santo Antônio do Menino Deus, em João Pessoa (PB); e o Frei Jorge Luiz (OFMConv.), antigo pároco do Santuário (o frade agora fará parte do Convento Nossa Senhora de Fátima, em Feira de Santana - BA).   Paróquia Nossa Senhora de FátimaNa noite desta quinta-feira (19) foi celebrada pelo Arcebispo Emérito, Dom Itamar Vian, a Santa Missa de posse do Frei James Fernandes (OFMConv.). Estiveram presentes, o antigo pároco, Frei Fernando de Araújo (OFMConv.), o delegado regional Frei Evilásio de Andrade (OFMConv.), o Frei Thiago Noronha (OFMConv.), novo pároco do Santuário de Nossa Senhora das Candeias e o Frei Jorge Luiz (OFMConv.), novo vigário da comunidade. Na homilia, Dom Itamar agradeceu a Deus e a comunidade pelas orações em intercessão por sua recuperação. Continuou sua reflexão, referindo-se ao documento 109 da CNBB, falando sobre os quatro pilares que norteiam a Evangelização na Igreja do Brasil. Assim, o bispo emérito elencou:• a Missão do pároco é priorizar os ensinamentos de Deus;• fazer com que a Eucaristia seja bem celebrada e chegue a todos;• manter a caridade, o serviço aos necessitados, doentes e idosos;• estar no meio do povo e cuidar das pessoas, tanto espiritualmente, quanto materialmente.Já o Frei James, agradeceu ao antigo pároco e vigários pelos trabalhos realizados. “Devemos ser discípulos e missionários do Senhor”, disse o novo pároco pedindo as orações dos fiéis para que ele consiga o céu para si e para eles. O Frei Evilásio leu uma mensagem enviada pelo provincial, Frei Gilberto de Jesus (OFMConv.), que desejou ao Frei James sabedoria e bênçãos divinas para servir o povo e a Deus como um Bom Pastor. Paróquia Santo Antônio de PáduaOntem (19) na Paróquia Santo Antônio de Pádua, em Tefé (AM), Dom Fernando Barbosa, Bispo da Prelazia de Tefé, celebrou a Santa Missa de posse do Frei Givaldo Batista (OFMConv.) como pároco. Na ocasião, estiveram presentes 4 diáconos 5 sacerdotes diocesanos. O prelado celebrou profissão do Frei Givaldo e, logo em seguida, fez a despedida do Frei José Adriano.Em sua mensagem à comunidade, o novo pároco destacou, “estou chegando para estar com todos os paroquianos e paroquianas como irmão de vocês. Devemos rezar uns pelos outros e deixar que o Grande Amor que é o Deus Vivo, esteja sempre em nosso meio”.   Pedimos as orações por aqueles que nos próximos dias assumirão a sua missão como párocos e encargos provinciais:• Paróquia São Francisco de Assis do Valparaíso de Goiás/GO – 21 de dezembro - Frei Almir Rodrigues Siqueira• Paróquia S. Antônio de Pádua da Cidade Ocidental/GO – 22 de dezembro - Frei Alexandre da Silva Lima• Paróquia Imaculada Conceição do Novo Gama/GO – 28 de dezembro - Frei Adailton Borges Gomes Jr.• Paróquia São Maximiliano Kolbe de A. L. de Goiás/GO – 29 de dezembro - Frei Rômulo Albuquerque• Paróquia Santa Clara de Assis de Anápolis/GO – 05 de janeiro - Frei José Nasareno S. Santos • Paróquia N. S. de Fátima em Juruá/AM – 05 de janeiro - Frei Francisco Ferreira SilvaRendemos graças a Deus, pela disponibilidade dos nossos irmãos em assumir a sua nova missão.   Fonte: franciscano.org.br/comunicacoes/noticias/

Lançamento do livro “Amor que cura”

O auditório do Santuário São Francisco de Assis foi palco do lançamento do livro “Amor que cura: segredos da vida, felicidade e paz interior”, da escritora e paroquiana Edna Maria de Siqueira. O evento ocorreu no último domingo (15) e contou com a presença do frei José Nasareno (OFMConv).Houve um bate-papo entre a escritora, e o frei com a intermediação de uma cerimonial. Teve o momento dos autógrafos, música, café e conversa com as pessoas. Os presentes, inclusive de outros estados, aproveitaram a oportunidade e compraram o livro para dar de presente de Natal. O livro é destinado aos adolescente e adultos que estão cansados e sem esperança no mundo. Ele traz reflexões com base em histórias reais que ajudam a redimensionar as esperas. Está sendo vendido na secretaria do Santuário, na Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe, na 311/312 Sul na loja Toque de Anjo, na 715 Norte ou com a própria Edna e em breve estará nas lojas Ave Maria. O dinheiro arrecadado, uma parte ficará para o local. Edna conta que escolheu o a igreja franciscana por fazer parte dela. “Os freis se interessaram, especialmente o Nazareno desejou que o meu trabalho fosse conhecido, como um meio de valorizar os dons dos paroquianos e de contribuir para a comunidade”, finaliza.

Grupo “Dançando na Vila” se apresenta no teatro

No Teatro de Sobradinho, 72 meninas do grupo “Dançando na Vila” apresentaram o balé “Mulheres” em homenagem a grandes mulheres como Carmem Miranda, Ana Botafogo entre outras. O evento teve a direção da Elizabeth Vasconcelos, da assistente Ivna Vasconcelos e ocorreu no dia último dia 1. As bailarinas contaram com a presença de familiares, amigos e também da comunidade. O dinheiro do ingresso arrecadado serviu para a ajuda na ornamentação, luzes, som, gravação, fotos e folder.

É criado o “Projeto Voluntário” para auxiliar a Conferência de Santa Clara

Ana Angelica e Celso formaram em novembro deste ano, o grupo chamado “Projeto Voluntário” que tem por objetivo ajudar as atividades promovidas pela Conferência de Santa Clara do Santuário São Francisco de Assis.Eles visitaram no último sábado (7) oito famílias da Vila Rabelo II, em Sobradinho II, que ganharam uma árvore de Natal enfeitada, um presépio, uma toalha de Natal e uma guirlanda que os próprios integrantes do grupo confeccionaram. Além da ajuda, os jovens evangelizaram nas casas que visitam. Os voluntários ficaram emocionados e as famílias agradecidas já que não tem condições de enfeitar suas casas neste período festivo. Dia 21 deste mês cada residência ganhará uma cesta natalina com panettone, bombom, suco de uva entre outros, e as crianças vão ganhar presentes de acordo com o pedido nas cartinhas.

Saiba quem são os novos vigários do Santuário São Francisco de Assis

Durante a última semana de novembro, os frades da Província de São Maximiliano Maria Kolbe reuniram-se na Segunda Fase do Capítulo Provincial Ordinário para analisar os últimos quatro anos de trabalho, e também para nomear os freis para as paróquias, entre outros assuntos. Para o Santuário São Francisco de Assis serão enviados o frei Pedro Rodrigues Silva, Cristiano da Silva Freitas (guardião e ecônomo provincial) e o frei João Batista Wajgert continua no Santuário. O novo pároco frei João Benedito F. de Araújo também será reitor do Instituto São Boaventura (ISB). frei Cristiano da Silva Freitas   frei Pedro Rodrigues Silva. Fonte   frei João Batista Wajgert   Fonte das fotografias: franciscano.org