Que possamos combater o bom combate!

 Mensagem litúrgica da Missa por Cura e Libertação, de 26 de junho de 2018, Primeira Leitura, 2Rs 19, 9b-11-14-21,31, Responsório, Sl 47, Evangelho, Mt 7,6.12-14

 Por Patrícia Galvão

 “O grande desejo de Deus é que nós nos tornemos íntimos do Espírito Santo! Que tenhamos o Espírito Santo como Amigo o qual possamos contar e partilhar nossas coisas e nos relacionar com Ele assim como nos relacionamos muitas vezes entre nós mesmos.”

Meus caríssimos irmãos e irmãs uma certeza da vida cristã para cada um de nós e que com certeza já sabemos é que nós cristãos somos chamados à vida! Mas não é qualquer vida. O próprio Senhor nos fala – e é uma passagem que toca em nossos corações: Jo 10,10 – “Eu quero que tenhais vida!” Mas não é qualquer vida. Eu quero que tenhais vida e vida em abundância. É desejo do Senhor que nossa vida seja abundante. Que sejamos felizes, que tenhamos muitas graças, muitas bênçãos. Que sejamos cheios de uma vida feliz. Às vezes temos uma visão muito romântica e apaixonada da vida. Muitas vezes acreditamos que essa vida em abundância significa uma vida tranquila.

Tantas vezes confundimos felicidade com facilidade, e este é nosso grande problema. Porque ainda que nós sejamos chamados à vida, ainda que a vida seja o grande dom de Deus para cada um de nós, nós na nossa vida, vamos enfrentar muitas dificuldades. Vamos enfrentar muitas barreiras, muitos problemas, crises, mas aí é que está a compreensão disso tudo porque tantas vezes nós achamos que as dificuldades são empecilhos para a felicidade.

Domingo passado foi falado, na homilia, a respeito de São João Batista, onde o próprio Senhor fala que dentre todos os homens nascidos de mulher, João Batista é o maior deles. E sabemos como foi a vida de João Batista. Ainda que ele seja tão agraciado por Deus, ainda que o Senhor tenha o escolhido desde o ventre, assim como escolheu cada um de nós, a vida de João Batista não foi fácil: assim que ele começou seu ministério foi enviado para o deserto. E lá, ele comia mel e gafanhoto para se purificar de todas as suas vontades e depois quando ele voltou ele denunciava as injustiças. E nós sabemos: João Batista teve inimigos, foi preso, foi degolado. E podemos nos perguntar: “Aonde estava Deus? Como um homem preferido por Deus, como Deus permitiu que João Batista passasse por tudo isso? E tantas vezes, em nossas aflições, nós também questionamos: onde está Deus que permitiu que tudo acontecesse? Tantas vezes isso mexe em nosso coração. E João Batista podia ter sido mais um que tivesse perguntado, naquela prisão jogado, solitário, ele poderia ter perguntado: “Onde estás Senhor? Eu fiz tudo. Eu anunciei o Cordeiro, eu preparei os caminhos para Ti Senhor. E ainda assim Tu permites que eu esteja aqui preso? E que eu esteja condenado à morte?” Mas João Batista não perguntou. Porque ele sabia que aquela dificuldade não era para destruí-lo, era para fazê-lo crescer e amadurecer. E nós até hoje vivemos João Batista, sua experiência, porque ele soube aprender com as situações adversas. E na psicologia (ciência), diz que é na dificuldade que os neurônios se expandem e o homem se torna mais inteligente. E ele compara essa relação com duas mentalidades humanas: a mentalidade de crescimento e a mentalidade fixa. Para a psicologia, a mentalidade de crescimento é aquela que olha para o problema e não se assusta com ele, percebe que isso é para seu crescimento, para que aprenda alguma coisa e amadureça. E diante do problema ele não abaixe a cabeça e nem se esconda, ele enfrente, supere, vença e cresça. A mentalidade fixa é aquela que olha para o problema, pega ele, e coloca embaixo da cama, diz que não dá conta, coloca a culpa nos outros, pergunta onde está Deus nisso tudo? E nós vamos continuando fixos, rígidos, sem crescimento nenhum, porque nós não conseguimos enfrentar as dificuldades. A proposta de Deus para a vida é que nós tenhamos felicidade sim, mas nossos neurônios, cientificamente falando, precisam passar pelas dificuldades para que nós exercitemos nossa inteligência.

A Palavra de Deus hoje é essa, meu irmão, quando o Senhor fala para nós: “Entrai pela porta estreita!” “Esforçai-vos para entrar pela porta estreita!”, passagem de Lucas. O Senhor está dizendo para cada um de nós: “Eu te quero feliz. Mas o caminho da felicidade não é fácil!” O caminho da felicidade não é feito somente de flores, de vida boa. É necessário refletir que mesmo estando nas dificuldades podemos ser felizes. Porque é isso que Deus deseja para cada um de nós: que tenhamos a capacidade de olhar não somente para os nossos problemas, mas olhar acima de tudo para a graça de Deus! Se conseguirmos fazer esta mudança, é isso que é a “porta estreita”, é isso que é o “projeto de Deus”: é a capacidade de, mesmo estando oprimidos, dizermos: “Eu não vou desistir!” Porque tudo isso é a PROVA, e Deus só dá a prova para aos melhores soldados porque Ele sabe que eles não irão desistir! Não desistem nas primeiras barreiras!

O Senhor nos coloca e deseja nos colocar de pé, para que possamos entrar, nos esforçando, por esta porta estreita, para que possamos mudar o nosso interior, para que possamos nos converter, e conversão dói. Toda conversão dói. Porque não é fácil estar num caminho e mudar de caminho. O Senhor te chama a ser diferente, a distribuir: amor, perdão, misericórdia. O Senhor quer mais de cada um de nós. O Senhor confia em nós! O Senhor confia em ti! Se nós trabalharmos juntos, imagine a quantidade de graça que nós podemos derramar sobre esta cidade, sobre a nossa casa. Porque só basta um justo para que o Senhor atenda a nossa oração. Só você é necessário, e o Senhor vai cumprir o milagre em sua casa. A Palavra de Deus, em Gênesis 18, diz, “Por causa de um só justo eu não destruirei…”. Na sua casa, na sua vida, o Senhor não vai permitir que o mal prevaleça.

Como é bom conversar com pessoas que passaram por dificuldades e superaram. Venceram! A dificuldade não vem para nos destruir, vem para nos fazer melhores. Basta que nós olhemos para ela com o tamanho que ela merece: pequenininha diante de um Deus que tem o tamanho que deve merecer: Grande! Que a graça de Deus possa nos fazer grande!!

Vamos passar pelas dificuldades, mas temos que nos converter. E conversão é mudar a mentalidade. Todas nossas dificuldades não estão para nos matar, são para nos fazer crescer, amadurecer e dar frutos e frutos em abundância. Por mais que esteja doendo não desista. Você tudo pode Naquele que te fortalece! E por mais que você ache que esteja sozinho, você não está, Deus está contigo! Os anjos estão contigo! E Deus não vai te abandonar! Você vai crescer e vai dizer: “Eu passei por uma dificuldade grande, mas eu venci!” É tudo para nos fazer crescer, que tenhamos esta consciência: Deus não nos castiga, Deus não quer o nosso mal, “Deus, às vezes, permite que as coisas aconteçam porque Ele sabe esse é um bom soldado e ele vai vencer, ele vai superar, ele vai combater o bom combate, e ele não vai desistir!” Vejam as fotos da Missa por Cura e Libertação, edição de junho de 2018.

Comments are closed.