Não deixemos a graça de Deus passar durante a Quaresma.

Notícias

Mensagem Litúrgica da 1a Semana da Quaresma, Primeira Leitura (Gn 9, 8-15), Salmo Responsorial (Sl 24), Segunda Leitura (1Pd 3, 18-22) e Evangelho (Mc 1, 12-15)

Por Patrícia Gomes

Fotos: Aureni Brito

Convertei-vos e crede no Evangelho! Na primeira leitura, Deus decidiu mandar um dilúvio para a humanidade, não porque estava incomodado, mas sim porque Ele é amor e queria a reconstrução da humanidade para que assim pudéssemos dar uma resposta de conversão e de amor a Ele. E assim temos uma aliança de Deus com Noé e sua família: Deus promete que nunca mais destruiria a terra. O símbolo dessa aliança é o arco-íris.

Clique na imagem para ver mais fotos da celebração

IMG 0874

Sempre, nos primeiros domingos da Quaresma, estamos com Jesus no deserto. O Evangelho nos apresenta Jesus orando sozinho no deserto, que tem muito a nos ensinar. Lá se vive com o mínimo, é um local pobre e de sofrimento. Os homens iam para lá, afim de ter uma vida de recolhimento, mas não para não serem tentados. Jesus foi tentado, foi colocado à prova, assim como nós somos colocados à prova. Se não existissem tentações na vida, não haveria crescimento espiritual.

Foram quarenta dias de Jesus no deserto. O número quarenta tem muitas representações na Bíblia: antigamente se vivia pouco e quarenta anos era o tempo que durava uma geração; o povo, quando é libertado do Egito, caminha durante quarenta anos no deserto; o dilúvio durou quarenta dias; quarenta dias foram os dias do tempo de Moisés no Monte Sinai antes da aliança; quarenta dias foram os dias do tempo de Elias no Monte Horebe e quarenta dias foram os dias do tempo da ressurreição até a ascensão de Jesus, tempo que ele levou para formar os discípulos.

Entremos também nesse tempo de quarenta dias para viver uma transformação. O número quarenta é simbólico e bastante representativo. Não deixemos esse tempo passar, principalmente não deixemos a graça passar, pois corremos o risco de chegar na Páscoa e não ter feito nada. Convertamo-nos nós e creiamos no Evangelho!