Santuario Sao Francisco de Assis

A raiz da identidade de São Francisco é a espiritualidade

Mensagem Litúrgica da solenidade de São Francisco de Assis, 27° domingo do tempo comum, 04 de outubro de 2020.

Uma espiritualidade que reconheceu o amor de Deus pela humanidade foi o que fez de São Francisco de Assis um grande santo e exemplo a ser imitado, segundo Frei Gilberto de Jesus (OFMConv.), Ministro Provincial da Província de São Maximiliano Kolbe.

O frade afirmou que por vezes, os sinais deixados pelo santo como o Tau, o cordão e o hábito franciscano ou a visão sobre as ações dele que o tornam conhecidos como o homem da paz e ecológico são tidos como a identidade de São Francisco. Mas a espiritualidade de Francisco foi a raiz que o fez ser quem foi. “Se nós olharmos a espiritualidade de Francisco, é como uma árvore. Nós vemos os galhos, nos vemos as folhas, até os frutos belíssimos de uma árvore. Mais muitas vezes não vemos a riqueza da raiz, a profundidade da raiz. Por isso, é importante nos lembrarmos que em todos os sinais de São Francisco precisamos buscar essa raiz primeira que é a espiritualidade”, afirmou.

Essa reflexão fez parte da homilia proferida durante Santa Missa das 19h no Santuário São Francisco de Assis, no dia 4 de outubro, em que se comemorava a vida do fundador da Ordem dos Frades Menores Conventuais e grande santo da Igreja Católica.

Frei Gilberto também destacou que ao longo da vida e, principalmente, durante seu processo de conversão, São Francisco deixou ser moldado pelo Pai e que, para isso, Deus o fez um homem sensível. O frade explicou que São Francisco “tornou-se sensível a criação” e que por isso passou a admirar a natureza e encontrar a presença e a beleza de Deus nela. Além disso, São Francisco tornou-se sensível aos enfermos, quando lançava um olhar de misericórdia e cuidava dos leprosos que habitavam os arredores de Assis, e aos pobres. “Essas três sensibilidades de Francisco vai revelar um homem de oração. O homem que falou com Deus”, completou.

Paróquia, convento e província reunidos em comemoração

A celebração eucarística presidida pelo ministro provincial reuniu freis responsáveis pelo Santuário São Francisco de Assis, freis representantes do governo provincial, assim como freis formadores e formandos das casas de formação São Francisco de Assis e Santa Maria dos Anjos. No início da celebração, Frei João Benedito, pároco e reitor do Santuário, pediu para que a comunidade rezasse pelos frades e colocou toda a província como uma das intenções da Santa Missa.

Luz de São Francisco

A celebração que encerrou no Santuário os festejos em honra a São Francisco em 2020 contou com uma novidade. Durante a Santa Missa o óleo doado pela comunidade, que será combustível para manter acesa lamparina localizada ao lado da imagem do santo, foi abençoado em cerimônia específica. Ela ocorreu durante a celebração eucarística e seguiu os moldes da que é realizada em algumas igrejas da Itália, país de origem de São Francisco.

Texto: Kelsiane Nunes | Fotos: Fernando Carlomagno