Santuario Sao Francisco de Assis

Celebrações em honra a São Francisco atraem mais de mil fiéis ao Santuário

Além de participarem da Santas Missas, fiéis levaram animais de estimação para receber benção tradicionalmente dada no dia em que se comemora a vida do santo.

Mais de mil pessoas vieram ao Santuário São Francisco de Assis celebrar a vida do padroeiro que é festejada dia 4 de outubro. Este ano, por conta da situação de pandemia que ainda estamos vivendo, os fiéis não puderam participar das celebrações das Santas Missas acompanhados de seus animais de estimação, como tradicionalmente ocorria, e a benção dos animais foi realizada em esquema Drive Thru, com os animais dentro dos carros.

Devota de São Francisco de Assis, Luci Barros, 85 anos, tem o costume de participar da missa em honra ao santo vestida de hábito, vestimenta típica de religiosos das ordens criadas pelo santo. Ela participou da Santa Missa que ocorreu às 10h e contou que gosta de ir vestida assim no dia da festa do padroeiro para agradecer as graças que têm certeza de que são mediadas por ele. “São Francisco deixou um exemplo muito bom. “Aprendendo alguma coisa com ele e colocando em prática gente vai estar fazendo algo certo na vida” opinou.

Luci Barros se veste com hábito franciscano como forma de agradecer pelas benções alcançadas (Foto: Kelsiane Nunes)

O Vigário da Província de São Maximiliano Maria Kolbe Frei Flávio de Amorim afirma que é muito importante fazer memória do padroeiro. “Para nós e para toda a Igreja, com certeza, é importante toda lembrança daquilo que São Francisco deixou, como a minoridade, a fraternidade, o amor para a criação”, disse. Ele afirma que a movimentação de fiéis mostra o reconhecimento do amor que São Francisco teve por Deus e por toda a criação Dele. “É bonito ver aqui no Nosso Santuário a quantidade de pessoas que trazem seus animais de estimação. Isso mostra o zelo de Francisco com toda a criação”, apontou.

Benção aos animais

Frei Bruno Carvalho, 26 anos, seminarista do convento São Francisco de Assis, a benção aos animais é um momento importante de evangelização “Muitas pessoas que passam por aqui nem católicas são, mas querem a benção do animal. É uma forma de Deus entrar na vida dela. É uma forma de nosso Senhor ir à vida dela e fazer com que essas pessoas encontrem esse amor misericordioso de Deus que acolhe a todos”, afirmou. Além disso, ele acredita que a benção é uma forma de, assim como São Francisco fez, encontrar a Deus através de todas as criaturas. “Não é apenas abençoar o animal porque ele é bonitinho e alegra o coração. É muito mais que isso. É nós reconhecermos nessas pequenas criaturas, gestos do criador”, explicou.

Lea Santos, 51 anos, veio da quadra 214 da Asa Norte a pé junto com as cadelinhas Frida e Pipoka para receber a benção dada pelos freis. O esforço é motivado pela devoção ao santo. “Sou muito devota de São Francisco pois gosto muito da história dele”, contou. Ela acredita que abençoados os animais podem também levar benção para a casa dela.

Para a paroquiana Cláudia Ushoa, 60 anos, trazer o cãozinho Naru para ser abençoado já é uma tradição. A confreira do movimento Capelinnha de São Francisco afirma que além da devoção ela tenta colocar em prática os ensinamentos deixados por Francisco. “Eu acho que ele (São Francisco) é um exemplo de vida e eu procuro seguir todo que ele prega”, disse.

Flávia Fritsche veio com as filhas Cecília, Luiza, Elisa e Maria Fernanda abençoar o pássaro Green e o cachorro Chico. Ela elogiou a iniciativa de manter a benção aos animais. “Nós somos de uma família tradicionalmente católica e nós queremos preservar isso também no cuidado com eles e as crianças dão muito valor”, contou.

Ensinamentos de Francisco

Frei Flávio afirma que toda a devoção a São Francisco é muito bonita, mas os fiéis precisam ir além. “É necessário a imitação”, afirmou. Ele afirma que é necessário buscar o olhar de São Francisco até em momentos de sofrimento. “podemos ver o sofrimento a partir da ótica que São Francisco viu que é a partir da cruz de Cristo, a partir do sofrimento, mas que chega a vida, ressureição, a eucaristia, por isso o grande amor que São Francisco tinha para com a Eucaristia. Esse tempo de pandemia, queira Deus que possamos ter também um olhar de vida não só de morte. Que isso possa transformar a cada um de nós”, concluiu.

Para Frei Paulo Maria, Secretário da Província Franciscana de São Maximiliano Maria Kolbe, São Francisco ensina a confiar na vontade de Deus e que Ele conduz de forma amorosa a história. “Creio que nesse ano de 2020 em que nós experimentamos, não só no nosso país mas no mundo inteiro, uma pandemia, que nos constrangeu por perceber o quanto nós somos frágeis e pequenos, São Francisco ensina, talvez, a nos abandonar um pouco mais a vontade de Deus e a confiar nos cuidados de Deus que olha por sua criatura”, disse.

A busca pela simplicidade é um dos principais elementos apontados pelo Frei para aqueles que querem aprofundar a devoção a São Francisco. “Creio que a devoção a São Francisco só pode existir no coração de quem é simples”, apontou. “A vivência das virtudes, da caridade e do amor entre os irmãos, São Francisco é esse santo por isso ele é chamado pela Igreja de irmão universal. Então nós podemos, para ser mais devotos de São Francisco, exatamente fazer esse movimento de abertura cada vez maior aos outros”, finalizou.

Os festejos em honra ao padroeiro encerram com a celebração da Santa Missa às 19h que foi presidida pelo Frei Gilberto de Jesus Rodrigues, Ministro Provincial da Provincia de São Maximiliano Maria Kolbe.

Texto: Kelsiane Nunes | Fotos: Gerlania Morais