Santuario Sao Francisco de Assis

Padre José recebe condecoração do governo italiano pelos trabalhos desenvolvidos com crianças e jovens com deficiências

O padre, vigário do Santuário São Francisco, é diretor do Centro Educacional da Audição e Linguagem – Ludovico Pavoni (CEAL-LP)

Texto: Kelsiane Nunes

Foto: Divulgação

Na última sexta-feira (23), padre José Rinaldi da Congregação dos Filhos de Maria Imaculada Conceição, recebeu das mãos do embaixador da Itália no Brasil Francesco Azzarello uma condecoração como Cavaleiro da Ordem da Estrela da Itália concedida pelo presidente italiano Sergio Mattarella. A homenagem foi dada pelos trabalhos desenvolvidos por Padre José em prol das crianças brasileiras com deficiências e as que vivem em estado de vulnerabilidade social.

A cerimônia foi realizada na sede da Embaixada da Itália em Brasília com a presença de poucas pessoas e com adoção dos protocolos de saúde. A Ordem da Estrela da Itália foi instituída em 2011 e é destinada a premiar aqueles que adquiriram méritos particulares na promoção das relações de amizade e colaboração entre a Itália e outros países, segundo informações do site institucional do governo italiano.

Nascido na Itália em 1945, Padre Giuseppe Rinaldi, após ser ordenado sacerdote, se especializou em Magistério de Educação para Crianças Surdas no renomado Instituto Nacional para Surdos Gerolamo Cardano, em Milão. Chegou ao Brasil em 1980 e aqui começou a ser chamado carinhosamente de Padre José. O sacerdote veio para Brasília com a missão de assumir a direção do Centro Educacional da Audição e Linguagem – Ludovico Pavoni (CEAL-LP), cargo que exerce até hoje.

O Centro Educacional é uma instituição filantrópica sem fins lucrativos que oferece assistência social, educacional e de saúde às crianças e adolescentes com deficiência auditiva, intelectual e com transtornos do espectro autista. Atualmente a instituição atende a cerca de 420 pessoas.

Sacerdote da reconciliação

No Santuário São Francisco de Assis, há anos Padre José exerce seu sacerdócio juntamente com os freis franciscanos. Além de celebrar missas, na paróquia ele é reconhecido por entregar várias horas da sua semana ao atendimento as confissões dos fiéis e paroquianos que buscam o sacramento da reconciliação.