Santuario Sao Francisco de Assis

Sedes Santos

Mensagem Litúrgica do 31° domingo do tempo comum. Solenidade de Todos os Santos, 1 de novembro de 2020.

Primeira leitura Apocalipse 7, 2-4. 9-14; Salmo 23/24;  Segunda leitura 1 João 3, 1-3; Evangelho Mateus 5, 1-12.

Durante a homilia da Celebração Eucarística do último domingo (01), na qual foi comemorada a Solenidade de Todos os Santos e Santas, Frei João Benedito, reitor e pároco do Santuário, afirmou que na ocasião são celebrados não só o Santos que conhecemos, mas também os ” Santos da porta de casa”, o que não são comentados. Ele começou a pregação falando sobre as realidades que formam a igreja do Senhor: nós, os santos e os que estão no purgatório esperando a salvação. Ele lembrou que em cada momento que comungamos nos unimos a essas pessoas.

Por vezes, os santos são retratados como se tivessem uma realidade muito distante da nossa. A vida deles não era somente um mar de rosas. Eles percorreram caminhos duros de luta. Os santos não tiveram vida fácil, vieram de Cristo e celebraram a Vitória. Frei João citou alguns santos como exemplo de vida, tais quais São Francisco, Santo Agostinho, Santo Antônio e Santa Teresa. O pároco afirmou que às vezes pensamos que a santidade é fruto de um esforço pessoal, porém é um dom de Deus, como falado nas cartas de São Paulo, cartas essas que se dirigem a nós. A santidade é também a graça de Deus.

Segundo o sacerdote, o evangelho proposto nesta celebração nos lança um desafio. O sermão das bem-aventuranças pode ser encontrado nos evangelhos de São Lucas e São Mateus, onde Jesus nos fala a partir do Olhar de Deus (O Sermão da Montanha). Jesus convive com nossa situação, e sabe da nossa dificuldade de perseverar no caminho de santidade. Ele nos diz para sermos felizes, corajosas e perseverantes.

Frei João Benedito explicou as bem-aventuranças da seguinte forma:

1- Pobres de espírito: são aquelas pessoas que independentemente da situação social não têm o coração ligado aos bens materiais

2- Aflitos: são aquelas pessoas que sofre injustiça

3- Mansos: são aqueles que diante dos problemas e dificuldades não se irritam

4- Que têm fome e sede de justiça: justiça de Deus é santificar o pecador

5- Misericordiosos: são aqueles que agem com amor assim como Deus

6- Os puros de coração: são aqueles que não tem o coração dividido

7- Provedores da Paz: são aqueles que cuidam do próximo, que desejam e agem para que o outro esteja bem

8- Perseguidos: são os perseguidospor causa da justiça, da fé que professam e dos valores que acreditam.

2

A partir da afirmação de Cristo em queesses listados acima são aqueles que serão felizes, segundo o relato do evangelho, o pároco disse que a felicidade verdadeira é aquela que o senhor nos chama a compartilhar (o projeto do Reino de Deus).

É essa felicidade queos santos viveram e que somos convidados a viver. Por fim, o sacerdote exortou os fiéis para que sejam santos, porque é possível ser santos e santas na igreja de hoje. Podemos encontrar santos na casa do vizinho e em nossa comunidade, como diz Papa Francisco.

 

Texto: Adriana Gimenes | Fotos: Fernando Carlomagno